Academia Nacional de la Historia de la República Argentina confere prêmio à obra « Estadística y Nación », de Hernán Otero

A Academia Nacional de la Historia de Argentina outorgou ao doutor Hernán Otero, presidente da AAHECP e notável pesquisador da Universidad Nacional del Centro de la Provincia de Buenos Aires, o “Premio Academia Nacional de la Historia obras éditas 2007-2009” por seu livro “Estadística y Nación. Una historia conceptual del pensamiento censal de la Argentina moderna. 1869 – 1914”.
A distinção foi entregue em sessão pública da prestigiada entidade, realizada no dia 8 de novembro às 18h30min em seu edifício sede, situado à rua Balcarce 139, em Buenos Aires, mais precisamente nos antigos aposentos do Congresso Nacional ».

80 anos do Convênio Interadministrativo de estatísticas educacionais e conexas

Facultade de Educação – USP
8 de dezembro de 2011

O evento terá quatro momentos importantes e articulados:

  1. No período da manhã, depois da abertura oficial, haverá uma reunião para pesquisadores convidados para discussão e proposta de uma agenda de pesquisa conjunta sobre o Convênio, bem como o encaminhamento para a organização de uma associação da sócio-história da estatística e das probabilidades das Américas.
  2. No período da tarde haverá uma mesa redonda aberta a todos os interessados na discussão sobre as estatísticas com foco nas estatísticas educacionais e no Convênio Interadiministrativo de 1931.
  3. Em seguida far-se-á o lançamento da Revista “Estatística e Sociedade”.
  4. Coquetel.

Programação detalhada
Abertura oficial do evento: profª. Diana Vidal e /ou profª. Maurilane Biccas (FEUSP)

I) Manhã 9 às 12 h: Reunião interna de pesquisadores interessados na Sócio-história das estatísticas

Coordenadora da sessão: Sandra Caldeira (FAC. SUMARÉ)

  1. Rodada básica em que cada um se apresenta;
  2. A pesquisa sócio-histórica no Brasil, origens e rumos; Nelson de Castro Senra (ENCE-IBGE)
  3.  A “Associação das Américas”, estado presente e perspectivas; Odair Sass (PUC-SP)
  4. Estudos da educação a partir do Convênio de 1931; Natália de Lacerda Gil (UFRGS)
  5. Produção de estatísticas públicas e redes de circulação do saber estatístico na Era Vargas: uma abordagem preliminar; Alexandre Camargo (UERJ)

II) Tarde: 14 às 17 h – Mesa redonda

Coordenadora da Mesa: Maurilane Biccas (FEUSP)

  1. Em 1931, a instituição da cooperação interadministrativa, crônica de uma (r)evolução necessária por Nelson Senra (ENCE-IBGE);
  2. Título a definir por Libânia Nacif Xavier (UFRJ);
  3. Título a definir por Margareth da Silva Pereira (UFRJ).

III) 17 h – Apresentação da revista “Estatística e Sociedade”, da “Associação das Américas” por Natália de Lacerda Gil (UFRGS)

IV) 18 h – Coquetel

Memória e Discurso-Informacional de Instituições

17 a 19 de agosto de 2011
Auditório do Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas (CCET), da UNIRIO, na Av. Pasteur, 458, Urca.

Mesa-redonda Memória discursiva das instituições
19 de agosto, às 9:00h

“O IBGE sempre presente nos municípios brasileiros”

Palestra del Doutor Nelson de Castro Senra

Doutor em Ciência da Informação (IBICT – Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia / UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro). Pesquisador (IBGE, aposentado). Professor na ENCE – Escola Nacional de Ciências Estatísticas, do IBGE (Mestrado em “Estudos Populacionaise Pesquisas Sociais”) e no ICICT – Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde, da FIOCRUZ (Mestrado e Doutorado em “Comunicaçãoe Informação em Saúde”). Sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro (IHGRJ), desde 2011. Endereço eletrônico: ncsenra@gmail.com.

Escopo: Intento mostrar que para a implantação e maturação em definitivo da atividade estatística brasileira foi preciso promover, de modo contínuo e sistemático, seu encontro pacífico e natural com os municípios. Para tanto é preciso entender a atividade estatística como uma instituição em si mesma, enquanto uma ideia ou um ente abstrato, mas também como uma instituição em sentido concreto, configurado numa organização ou um conjunto de organizações. Por outro lado, vejam-se os municípios também como instituições, enquanto configurações territoriais do espaço nacional, sendo tanto uma ideia quanto uma concretude conformada emorganizações.